Chá das 5

Estava a ver esta noite um programa de televisão com o chefe Michel Roux e a "boleira" Mary Bird quando mais uma daquelas verdades históricas vistas por óculos ingleses me fizeram sorrir e depois pensar quanto da nossa História fomos enganados e quão pouca divulgação (ou será ignorância) e orgulho temos. 

Dizia a insigne Mary Bird que o chá das cinco foi inventado no tempo da Rainha Vitória (oh santa ignorância!) quando uma das suas aias sugeriu que o tempo entre o almoço e o jantar era demasiado longo e uma certa fomeca estava a atravessar a corte. Trouxe então umas sandes e uns bolinhos e a tradição ficou. O chefe parisiense ficou embevecido com esta história. Por mim... gargalhada geral, história com uns 200 anos de atraso e com os personagens errados. O chá das cinco foi levado pela filha do D. João IV para Inglaterra quando esta casou com o Rei Carlos II. Como boa portuguesa gostava muito de bolinhos e cházinho e uma bucha entre o almoço e o jantar.

Muitas mais histórias destas poderia revelar... como papamos "cultura" estrangeira que foi nossa antes e nada fazemos para esclarecer os iluminados porque vêm de fora. Crime cultural por omissão. Pela minha parte faço sempre o esclarecimento quando algum inglês me diz que o chá das cinco é... inglês! e depois acrescento esta...

A origem da palavra chá... se fizerem uma pesquisa no google acerca da origem da palavra "tea" deparam-se com uma quantidade de tangas e explicações nubladas na wikipedia e outras fontes. A explicação é muito mais simples, basta reparar na geografia. Em Portugal chamamos chá ao chá, na Rússia e Arábias é chai e na China também tem um som semelhante. Porquê em inglês tea (ti)?

Em Espanha chama-se Te (tê) — o som da letra T em castelhano
Em França chama-se Thé — o som da letra T em francês
Em Inglaterra chama-se Tea — o som da letra T em inglês

... e por aí fora por essa Europa que tem portos na Holanda, Dinamarca, Alemanha, etc. A palavra chá é sempre o som na língua local da letra T. Porquê?

Até ao terramoto de 1755 Lisboa foi o maior entreposto comercial da Europa, a Hong Kong da Europa. Durante séculos barcos chegavam carregados de mercadorias que ficavam armazenadas no Campo das Cebolas e outros ali ao pé do Terreiro do Paço. Chá (o mais popular) era exportado para todos os portos da Europa, incluindo Londres, a partir de Lisboa em caixas de madeira, onde afanosos funcionários aduaneiros tinham pintado a vermelho a letra T, do latim "transit" (em trânsito), para exportar. Quando as caixas eram descarregadas nos portos de destino, estas eram descritas como "as caixas de T dos portugueses". E assim o chá mudou de nome. Na Rússia, onde o chá provinha directamente da China por via terrestre, sem nunca terem visto as caixas de T dos portugueses, a palavra está mais próxima daquela que nós e os Chineses usamos, chai, chá! 

Qual 5 o'clock tea, qual carapuça... tangas inglesas. Chá das cinco, da Catarina de Bragança.



Comentários

  1. Muito interressante... Gostei!

    ResponderEliminar
  2. Era bom que assim fosse, mas não me parece

    https://en.wikipedia.org/wiki/Tea
    https://en.wikipedia.org/wiki/Etymology_of_tea

    ResponderEliminar
  3. Em desacordo especialmente quando a fonte vem da wikipedia Anglo-Saxónica... e se ler o artigo com mais atenção verifica que a raíz te ou tche vem de um dialecto de uma zona que não fez uma única exportação. Não explica também o facto indiscutível do som do produto estar ligado à letra T em todas as linguagens europeias

    ResponderEliminar

Publicar um comentário